MAURÍCIO AZÊDO
PERFIL

Oscar Maurício Azêdo nasceu no Rio de Janeiro, no bairro das Laranjeiras, década de 1930. Formou-se em Direito em 1960, pela Universidade do Rio de Janeiro. Foi auxiliar de escritório e, em 1956, passou a trabalhar como tradutor de textos publicados em espanhol para jornais vinculados ao Partido Comunista Brasileiro como Democracia Popular. Em 1958, foi contratado como repórter pelo Jornal do Commercio. Depois, trabalhou como repórter, redator, cronista, editor, chefe de reportagem, editor-chefe e diretor de redação em veículos como Diário Carioca, Jornal do Brasil, Diário de Notícias, Jornal dos Sports, Última Hora, O Dia, O Estado de S. Paulo, Folha de S. Paulo.

Além de jornais diários, Maurício Azêdo colaborou com o jornal nacionalista O Semanário, fundado por Osvaldo Costa, em 1956, e extinto pelo golpe militar de 1964, e com a revista Realidade, da editora Abril. Foi um dos autores do projeto de criação de uma revista esportiva nesta editora, a Placar, na qual ocupou o cargo de editor-chefe.

Fez parte do corpo de redação do semanário A Folha da Semana, criado pelo PCB em 1965. Colaborou também com os alternativos Opinião, Movimento, Hora do Povo, do Movimento Revolucionário Oito de Outubro [MR-8] e da Voz Operária, órgão oficial do Partido Comunista Brasileiro, após 1968.

Em 1982, foi eleito vereador do município do Rio de Janeiro pelo Partido Democrático Trabalhista, de Leonel Brizola. Manteve o mandato por mais duas legislaturas (de 1989 a 1992 e entre 1993-1996). Foi Presidente da Câmara Municipal, Secretário Municipal de Desenvolvimento Social e Conselheiro do Tribunal de Contas do Município do Rio de Janeiro, entre os anos de 1997 e 2004. Em 2004 foi eleito presidente da Associação Brasileira de Imprensa.

Maurício Azêdo morreu em 25 de outubro de 2013.